sexta-feira, 24 de outubro de 2008

COISAS DA VIDA (XXVIII)

Silêncio
– Sofia Tello Gonçalves

No passado dia 10 de Setembro, assinalou-se o dia mundial da prevenção do suicídio. Quando li esta notícia, fiquei a matutar neste assunto. Há alguns anos tive oportunidade de fazer um trabalho na área da saúde mental e verifiquei na altura, de acordo com os estudos existentes sobre o suicídio, que se morria mais no mundo de suicídio, do que devido a mortes causadas por conflitos armados – guerra.
Ora, se infelizmente anda meio mundo a matar outro meio, em guerras sem fim, que todos os anos contabilizam inúmeras baixas, fiquei verdadeiramente impressionada em saber que existem ainda mais pessoas, que por sua livre e espontânea vontade, decidem acabar com a sua própria vida. Não censuro quem o faz. Creio que quem pratica semelhante acto, encontra-se num profundo estado de sofrimento, lamento verdadeiramente, o facto de essa pessoa estar a sofrer em silêncio há tanto tempo, e, que na escuridão da sua dor, só veja, o terminar dos seus dias como a única solução possível.
Se pensarmos bem, tudo, directa ou indirectamente acaba por nos ser próximo, e assim de relance lembrei-me logo de duas pessoas que conhecia que se suicidaram. Porquê, não sei, acho que somente elas sabem, mas o que é certo, é que nos dias de hoje, com os avanços da medicina, que contribuíram para uma incrível diminuição da taxa de mortalidade infantil, e do aumento da esperança de vida, ver tantas pessoas, morrerem vitimas das suas próprias mãos, é contraditório.
Enquanto escrevo, já se elevou para três o número de pessoas de que me recordo.
Vou ficar por aqui, já não quero saber de mais…