quinta-feira, 24 de abril de 2008

Misericórdia de Montalvão: Instituição exemplar

Joaquim Maria Costa - Provedor da SCM Montalvão
Não se sabe, ao certo, a data de fundação da Santa Casa da Misericórdia de Montalvão. A história desta e de outras instituições similares, só recentemente começou a ser fonte de interesse e motivo de estudo, na tentativa de descodificar o longo caminho percorrido e conhecer a essência da sua vida, num historial onde entram, quase sempre, épocas de maior esplendor e outras de franca vicissitude.
A Santa Casa da Misericórdia de Montalvão tem atrás de si uma história de apoio social aos mais carenciados, sobretudo à população idosa. Em instalações pequenas, acanhadas, quase elementares, ou não se tratasse do antigo hospital que existiu na povoação, funcionam os serviços administrativos, cozinha, dispensas, sala de refeitório e de estar.
Apesar da exiguidade do espaço e do edifício ser, também ele, muito antigo, ressalta ao olhar mais desatento, a impecável limpeza e arrumação de todas as divisões. Ali, a imaginação dos funcionários operou alguns "milagres", aproveitando cada recanto, reconvertendo cada nesga disponível do edifício, para que o espaço nobre, destinado às funções e ocupação do Centro de Dia não fosse prejudicado e os idosos que ali buscam conforto e alívio para o tempo de solidão, possam usufruir das melhores condições de convívio e tranquilidade.
São setenta os utentes que utilizam os serviços da Santa Casa da Misericórdia de Montalvão.
Trinta frequentam o Centro de Dia e quarenta recebem apoio domiciliário, muitos deles na aldeia de Salavessa, igualmente servida pelos serviços da Misericórdia.
Funcionárias da Santa Casa da Misericórdia de Montalvão
A este clima, verdadeiramente arejado e saudável que encontrámos, está subjacente um trabalho de entreajuda e a boa interacção entre os dirigentes e os quinze funcionários da instituição. É esta atitude positiva perante um extracto da população bastante carenciada, que encorajou a Mesa Administrativa a reclamar para a freguesia melhores condições de apoio aos idosos e a lançar-se noutros vôos: a construção de um Lar para a 3ª Idade, com novas valências, serviços e com um apoio qualitativamente superior.
Os primeiros passos foram dados. A obra, ergueu-se do nada, cresceu e foi concluída. É hoje uma das melhores infra-estruturas de apoio social do distrito. Agora, é a vez das instituições que tutelam o sector, darem as mãos, aproveitarem este conjunto de vontades e, em tempo útil, darem, com a resposta expedita, vida e sentido à esperança.