quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

NISA: Governo espanhol vai construir ponte entre Cedillo e Montalvão

O Governo espanhol vai construir uma ponte que ligará a povoação de Cedillo (Cáceres) à aldeia portuguesa de Montalvão, no concelho de Nisa (Portalegre), revelou hoje presidente da Junta de Freguesia de Montalvão, António Belo.
Em declarações à agência Lusa, o autarca adiantou que este investimento “vai ser iniciado dentro de um ano, ronda os 3,5 milhões de euros e constitui para a população de Montalvão uma grande notícia”.
Para António Belo esta ponte sobre o rio Tejo “vai trazer algum desenvolvimento” à aldeia que “deseja há muitos anos” uma ponte que faça a ligação entre os dois países.
O presidente da Junta de Freguesia de Montalvão explicou que o anúncio desta obra foi feito recentemente pelo presidente da Diputación de Cáceres, Juan Andrés Tovar.
Este investimento está inserido no programa Tejo Internacional, vai ser financiado por fundos europeus relacionados com os programas de cooperação fronteiriça (75 por cento), sendo o restante capital suportado pela Junta da Extremadura Espanhola e pelo organismo provincial de Cáceres.
“O investimento é todo dos espanhóis, nós aqui em Montalvão só temos que construir um acesso da aldeia à ponte”, sublinhou.
Esta obra, uma “velha” aspiração das populações de ambos os lados da fronteira, vai permitir que os habitantes se desloquem com mais facilidade num troço de apenas 15 quilómetros, contra os cerca de 150 quilómetros que são obrigados a fazer actualmente.
Há vários anos, a ligação entre os dois povos, faz-se apenas aos fins-de-semana pela ponte da barragem de Cedillo, nem sempre possível de transitar, uma vez que a empresa Iberdrola explora o aproveitamento hidroeléctrico e por vezes fecha aquele espaço para efectuar vários trabalhos.
De acordo com o presidente da Junta de Freguesia de Montalvão, as autoridades espanholas equacionam ainda a possibilidade de construir uma outra ponte, no sentido de unir aquela região de Espanha ao concelho de Vila Velha de Ródão (Castelo Branco).
“Se esse investimento surgir vai ser também bom para Montalvão. Nós estamos aqui num “beco sem saída” e esta ponte vai melhorar os acessos e dar “mais movimento” à localidade.
Diário Digital Castelo Branco/Lusa

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

SAÚDE: Dia Mundial de Luta contra a SIDA

Data comemorativa marcada pelo optimismo
A SIDA matou no ano passado cerca de dois milhões de pessoas em todo o mundo, mas 2010 traz um certo optimismo com a redução de novas infecções, os novos tratamentos contra a doença e os meios adicionais para prevenir a transmissão.
No Dia Mundial de Luta contra a SIDA, que será comemorado nesta quarta-feira, os especialistas e as associações recordam que, desde o início da epidemia, cerca de 30 milhões de pessoas morreram por causa desta doença. No entanto, as novas transmissões reduziram 19% desde 1999, alcançando a cifra de 2,6 milhões em 2009, segundo a ONUSIDA.
Além disso, o acesso aos tratamentos tem aumentado: mais de 5,2 milhões de pessoas tiveram acesso a anti-retrovirais nos países em desenvolvimento, quando em 2004 não chegavam aos 700.000 beneficiários.
No entanto, o director executivo da ONUSIDA, Michel Sidibé, recordou que 10 milhões de pessoas continuam à espera de um tratamento e os avanços obtidos até agora são muito frágeis devido à situação financeira mundial.
Actualmente existe uma série de ferramentas para a prevenção e redução de riscos: o preservativo, tratamento de doenças sexualmente transmissíveis, conhecimento do estatuto serológico graças à detecção, à circuncisão masculina, programas de troca de seringas e meios terapêuticos de substituição da heroína para os toxicodependentes.
Mas na falta de uma vacina, investigadores tentam acrescentar novos métodos a este arsenal. Um dos métodos mais promissores é a utilização dos anti-retrovirais em pessoas não infectadas. Também está a ser feita uma investigação em torno de um gel microbicida que cria uma "esperança para toda uma geração de mulheres", segundo Sidibé.
Publicado em Julho do ano passado, o estudo realizado pelo centro Caprisa em mulheres sul-africanas demonstrou que um gel vaginal microbicida à base de Tenofovir (um antirretroviral) reduz em 39% o índice de infecção sexual.
Recentemente, um estudo clínico publicado no New England Journal of Medicine demonstrou que uma dose quotidiana de uma combinação de anti-retrovirais, tomados por via oral, reduz em 44% o risco de infecção pelo vírus responsável pela SIDA (VIH) nos homossexuais.
Investigadores franceses e canadianos também falam num tratamento 'a la carte', ou seja, administrável, quando a pessoa (homossexual masculino) for manter uma actividade sexual.
Além das experiências com animais, outros dados médicos apoiam esta estratégia: desde 1994 já foram utilizados com êxito os anti-retrovirais para reduzir o risco de transmissão do vírus da mulher grávida para o seu filho e nos casos de exposição acidental ao vírus (por exemplo, usando uma agulha contaminada).
Os tratamentos (triterapêuticos) que reduziram muito a mortalidade nas pessoas infectadas pelo VIH também reduzem as quantidades de vírus no sangue e no esperma, o que contribui para limitar o seu contágio.
Por fim, outra boa notícia é que uma pesquisa do Instituto de Métrica e Avaliação de Saúde da Universidade de Washington revela que as nações ricas quadruplicaram o financiamento de programas de saúde nos países pobres entre 1990 e 2010, fundamentalmente graças à maior consciencialização da necessidade de lutar contra o VIH/SIDA.
A SIDA, que matou 25 milhões de pessoas desde o surgimento da doença em 1981, é um dos motivos do aumento do financiamento dos países ricos para os programas globais de saúde, afirmou à AFP Chris Murray, principal autor do relatório.
in Saúde.Sapo.pt

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

NISA: Bispo de Portalegre e Castelo Branco em visita pastoral ao concelho

O Bispo da Diocese de Portalegre e Castelo Branco, D. Antonino Dias, efectua na semana de 2 a 7 de Novembro uma visita pastoral ao concelho de Nisa.
Ao longo da semana, D. Antonino Dias fará visitas e terá encontros com instituições e entidades do concelho de Nisa e participará em cerimónias litúrgicas.
O programa da visita pastoral, inicia-se no dia 2 de Novembro, com uma Eucaristia, às 10 horas no Cemitério de Nisa, no âmbito do Dia de Fiéis Defuntos. De seguida, o Bispo visitará em Nisa a Escola do 1º Ciclo e Ensino Pré-escolar, a Santa Casa da Misericórdia, a Escola Básica e Secundária e a Escola Técnica e Profissional – ETAPRONI. Às 16 horas, ocorrerá uma visita à Câmara Municipal e ao Museu do Bordado e do Barro e, às 18 horas, no Auditório da Biblioteca Municipal, um encontro com entidades e instituições. Às 19 horas, na Igreja do Espírito Santos serão celebradas Vésperas, e às 21H30, na Igreja Matriz terá lugar o encontro com os Movimentos da Paróquia.
No dias seguintes, D. Antonino Dias desloca-se às freguesias de São Matias, Santana, São Simão e Montalvão, Espírito Santo e Nossa Senhora da Graça.
No último dia da visita pastoral, D. Antonino Dias participa na celebração da Eucaristia e Crisma nas igrejas matrizes de Montalvão, às 11 horas, e de Nisa, às 16 horas.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

INIJOVEM promoveu caminhada Nisa-Fátima


Decorreu entre os dias 2 e 4 de Outubro de 2010, mais uma edição da caminhada Nisa - Fátima. A organização esteve uma vez mais a cargo da INIJOVEM - Associação para Iniciativas para a Juventude de Nisa. Participaram 42 caminheiros que durante 3 dias percorreram os 117 km que ligam Nisa a Fátima. Na 1ª etapa, entre Nisa e Alvega, palmilharam-se 39,9 km, na 2ª etapa, entre Alvega e Vila Nova da Barquinha, a maior das três, percorreram-se 41,6 km. Para além de ter sido a etapa mais longa e mais difícil, foi também aquela em que o mau tempo resolveu fazer das suas, muita chuva e muito vento, principalmente entre Rio de Moinhos e Constância, dificultaram um pouco o ritmo da marcha. Na 3ª e última etapa, entre Vila Nova da Barquinha e o Santuário de Fátima, andaram-se 35,5 km, com destaque para a subida da Serra de Aire e Candeeiros, desde o Pafarrão até ao Centro de Animação Ambiental na localidade do Bairro. A chegada ao Santuário de Fátima ocorreu às 18h10. Organização e caminheiros estão de parabéns, pois foram alcançados os objectivos propostos. Foi também realizado um jantar convívio no dia 9 de Outubro às 21h00, na sede do Sport Nisa e Benfica, servido no restaurante Flor do Alentejo, que serviu de confraternização e de rescaldo. A INIJOVEM gostaria também de aproveitar esta oportunidade para agradecer a todos aqueles que, a título pessoal ou colectivo, apoiaram esta iniciativa, a saber:
Ao Rui Balonas, Bruno Figueiredo, António José Parreira Dinis (enfermeiro), Sérgio Cebola, João Paulo Valente, António Pimpão, Rosalino Castro, José Carlos Monteiro, António Miranda (website Vila de Nisa), Maria da Conceição, Ricardina e aos alunos do Curso Técnico de Termalismo da ETAPRONI: Rute Paixão, Catarina Patrício, Luís Carvalho e Marina Aparício;
Ao Município de Nisa, Mobiladora Nisense, restaurante “Flor do Alentejo” – Nisa, Grupo de Bombos de Nisa, Talho Manso, Farmácia Ferreira Pinto, Farmácia Seabra, Bombeiros Voluntários de Vila Nova da Barquinha, Agrupamento de Escolas D. Miguel de Almeida – Abrantes, Clube Náutico de Abrantes, Centro de Dia da Paróquia de S. Pedro – Alvega, Centro de Animação Ambiental da Serra de Aire e Bombeiros Voluntários de Constância.
E a todos os caminheiros.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

“O casamento em Nisa …um baú cheio de recordações!”

Exposição ( a não perder!) no Museu do Bordado e do Barro
No Museu do Bordado e do Barro - Núcleo Central (edifício da Cadeia Nova) está patente, até 15 de Janeiro, a exposição “ O Casamento em Nisa … Um Baú Cheio de Recordações”.
A exposição tem como tema os casamentos tradicionais em Nisa e pretende abrir o baú das recordações e das memórias que alguns ainda têm sobre a festa do casamento, tal como ela existia há umas décadas atrás .
A exposição integra peças da colecção do Museu e algumas cedidas por particulares, nomeadamente alfaias domésticas e bordados.
São apresentados e ilustrados alguns dos aspectos mais características desta celebração, nomeadamente o cortejo (da casa dos noivos até à igreja e da igreja até ao local do copo de água), o enxoval da noiva e a “casa da festa”, o “quintal da festa” e o “descante”.
Na véspera do dia do casamento, a “casa da festa” era aberta aos convidados que podiam apreciar as mobílias, as loiças, os utensílios domésticos e todo o enxoval dos noivos. Em Nisa, a noiva iniciava desde muito jovem, a elaboração do seu enxoval que era exposto na “casa da festa” onde se destacava o quarto com a chamada “cama grave” que apresentava a parte mais significativa do enxoval com lençóis, almofadas, colchas e cobertores, que exibiam alinhavados, rendas de bilros, bordados e aplicações em feltro. O enxoval, muitas vezes, era vendido, sendo a receita obtida utilizada como contributo para a compra da casa do jovem casal.
No “quintal da festa”, ao longo do dia da boda eram servidos aos convidados o almoço, com sopas de sarapatel e, à tarde, “sopas de afogado” (ensopado de borrego).
Os noivos viam a noite de núpcias interrompida pelo “descante” - uma serenata onde amigos, numa melodia tradicional, entoavam versos que descreviam o historial dos noivos e do namoro e formulava os votos de felicidade. Era reclamada a vinda dos noivos à janela, e que fosse servida alguma bebida.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

NISA: 75º Aniversário do Sport Nisa e Benfica

UM CLUBE EM FESTA
O Sport Nisa e Benfica está a comemorar 75 anos de existência. O programa das comemorações teve início no dia 26 de Setembro com a realização de um passeio a cavalo e prosseguiu neste fim-de-semana (1 e 2 de Outubro) com um conjunto de iniciativas destinadas a evocar a vida da mais popular colectividade desportiva do concelho de Nisa. As rivalidades com o Sporting
A história do Sport Nisa e Benfica remonta ao longínquo ano de 1935, quando um grupo de jovens, no auge das rivalidades locais com a filial nisense do Sporting, tomou a iniciativa de “romper” com as estruturas existentes e de criar uma nova colectividade.
A fundação do clube, com o nome inicial de Sport Lisboa e Nisa, data de 1 de Outubro de 1935, dando corpo ao sonho dos nisenses Isaac Araújo Baptista, José da Piedade Pires, Esteves da Anunciada Cebola e António Maria Carolo.
Em 13 de Janeiro de 1936, é eleita a primeira direcção, dela fazendo parte: o médico António Granja, José da Piedade Pires, Vicente Fernandes Nogueira, Eduardo Dinis Filipe, Esteves da Anunciada Cebola, José da Graça Sena, José Carita Serralha, João da Cruz Charrinho, Virgílio Pinheiro, João da Cruz Charrinho e António Semedo da Piedade.
A primeira sede instalou-se numa casa alugada na Rua da Fonte; anos mais tarde e também por arrendamento, transferiu-se para instalações muito mais amplas, na Estrada de Alpalhão (rua 25 de Abril), onde tinham lugar, em datas certas, grandes bailes populares, iniciativas destinadas a obter de receitas para o clube e principal razão de angariação de sócios.
Em 1946 e por força da determinação do Sport Lisboa e Benfica, o clube passou a designar-se com o nome que tem hoje, Sport Nisa e Benfica, tornando-se na 39ª filial do clube lisboeta.
Os jogos da bola e os bailes no “Galocha”
No início eram os jogos de futebol com o rival Sporting, sem qualquer espírito de competição oficial. Os bailes populares, já referidos, constituíam as mais importantes manifestações colectivas num tempo em que na vila (e no país) as colectividades espelhavam a divisão inter-classista existente e por isso os bailes no Benfica eram conhecidos como os bailes do “Galocha”, para vincar o seu carácter profundamente popular e rural (dos trabalhadores do campo) em compita com outras agremiações como a Sociedade Artística (dos "artistas" e que incluía todos os artesãos, a excepção dos trabalhadores rurais) ou o Clube Nisense, “poiso” de uma burguesia local e regional, que não admitia “misturas”.
Com este quadro, fácil é perceber que o Nisa e Benfica fosse a associação com maior número de sócios e também de actividades, e profundamente enraizada entre a população.
O atletismo praticou-se durante alguns anos, bem como o ciclismo, uma modalidade muito popular durante os anos cinquenta e sessenta do século passado.
É no início da década de 60 que o Sport Nisa e Benfica participa pela primeira vez em provas oficiais de futebol. Aos “distritais” de seniores, seguiram-se os juniores, os principiantes, e todas as demais categorias do futebol jovem, não só a nível distrital, mas também nacional, em seniores (3.ª Divisão) e juniores (campeonato nacional) numa caminhada que não mais parou e que todos os anos se renova, tanto a nível de novos atletas, como nas provas e objectivos com que se participa. Entre estes e num concelho que sofre os problemas da interioridade e da desertificação, assume relevo a ocupação salutar das crianças e dos jovens, a educação no espírito e respeito pelo “fair play”, valores alternativos aos mundos subterrâneos da droga e do vício e que, geralmente, constituem becos sem saída. A par do futebol, o Sport Nisa Benfica manteve em actividade, secções de Cicloturismo, andebol e futsal, funcionando como secções autónomas e sem encargos para o clube. No futsal, conquistou o primeiro campeonato distrital organizado pela AFP tendo sido, aliás, um dos precursores desta modalidade, hoje tão popular no distrito. Outro tanto se passa com a equipa de futebol de veteranos (Velhas Guardas) que percorrem país, com total autonomia e auto financiando-se.
Além destas actividades e num espírito recreativo, o Sport Nisa e Benfica organiza regularmente torneios de pesca desportiva ou de futebol de salão e outros visando quer a obtenção de fundos, quer, acima de tudo, a dinamização desportiva e o convívio entre associados. Valorização do património
O Sport Nisa e Benfica dispõe de sede própria na Rua 25 de Abril, e de Campo de Jogos, com o nome de D. Maria Gabriela Vieira, a benemérita nisenses que doou ao clube, sem qualquer contrapartida, uma extensa propriedade, na qual está implantado o campo de futebol (105x65 m) balneários e anexos de ampla dimensão.
A reconstrução do imóvel na Rua 25 de Abril propriedade do clube e onde este se instalou há mais de 50 anos é hoje uma realidade, passando a dispor de melhores condições para os sócios e para a população que utiliza o salão para a realização de diversas festas de convívio ou familiares. A valorização do património é objectivo que não tem sido esquecido pelos diversos elencos directivos que têm gerido o clube.
Em 5 de Outubro de 1998 foi inaugurada pelo então Secretário de Estado do Desporto, Miranda Calha, a primeira fase da bancada (lateral).
No Verão de 2000 foi dado início à construção da bancada central no Campo de Jogos, incluindo a mesma uma cabine para a comunicação social. Estes melhoramentos que transformaram de modo significativo o conjunto de estruturas e equipamentos do Nisa e Benfica que, entretanto, passou a ser a 9ª filial do SLB, foram conseguidos por força de uma enorme dedicação e determinação.
Falta, porém, num clube com um brilhante historial de 75 anos de existência e que tantos atletas deu ao futebol distrital e nacional, aquela que seria a prenda maior: a implantação de um campo relvado ou sintético, a exemplo do que existe em todos os concelhos dos distrito.
Nisa, por ser um dos pioneiros e mais destacados, a nível do futebol, bem merece esta infra-estrutura.
Um rico historial
1975/76 – Campeão Distrital de Futebol (seniores)
1976/77 – Participação no Campeonato Nacional da 3ª Divisão
1977/78 – Campeão Distrital de Futebol (seniores)
1978/79 – Participação no Campeonato Nacional da 3ª Divisão
1979/80 – Campeão Distrital de Futebol (seniores)
1980/81 – Participação no Campeonato Nacional da 3ª Divisão
1981/82 – Campeão Distrital de Futebol (seniores)
1982/85 – Participação no Campeonato Nacional da 3ª Divisão
1986/87 - Campeão Distrital de Futebol (seniores)
1987/88 – Participação no Campeonato Nacional da 3ª Divisão
1998/99 - Campeão Distrital de Futebol (seniores) – 2ª Divisão
1998/99 – Vencedor da Taça AFP (seniores)
1999/00 - Campeão Distrital de Futsal (seniores)
2000/01 – Participação no Campeonato Nacional de Futsal (3ª Divisão)
2002/03 – Campeão Distrital Infantis
2003/04 – Vencedor da Taça AFP (Infantis)
2003/04/05/06 – Vencedor da Taça AFP Iniciados
2004/2005 – Vencedor da Taça AFP Juvenis
2008 – Ricardo Mateus em representação do Sport Nisa e Benfica é campeão nacional de corta-mato (juniores).
Comemoração dos 75 Anos do Sport Nisa e Benfica
PROGRAMA
Sexta-Feira, dia 1 – Cine Teatro de Nisa
18h – Missa em Memória de todos os sócios falecidos
22h – Espectáculo com a banda da Soceidade Musical Nisense
23h – Actuação de fadistas do concelho de Nisa
Sábado – Dia 2 Out. – Cine Teatro de Nisa
* 10 h Inauguração da Exposição dos 75 anos do Sport Nisa e Benfica
* 11h – Sessão solene com entrega de lembranças
* 13 h – Almoço convívio (garagens da CM Nisa) com a presença de 2 glórias do Sport Lisboa e Benfica
* 18,30h – Porco no espeto na sede do SNB para todos os sócios.
Actuação do grupo de música popular “Domingos & Dias Santos”
Mário Mendes in "Fonte Nova" - 2 Out. 2010

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

NISA: Alinhavados e Olaria Pedrada são candidatos às “7 Maravilhas do Alentejo”

Os Alinhavados e a Olaria Pedrada foram escolhidos como elementos do património cultural do Concelho de Nisa a submeter à votação para as “7 Maravilhas do Alentejo”.
Esta iniciativa é promovida pelo Jornal “Margem Sul Online”, com o apoio dos Governos Civis dos quatro distritos da Região, decorre até 30 de Setembro.
As votações podem ser feitas através do site http://www.margemsul.com.pt/ de onde retirámos os textos sobre Alinhavados e Olaria Pedrada.
ALINHAVADOS
Também conhecidos por desfiados, ramos de pano (devido aos desenhos de ramos, muito comuns) ou caramelos (nomenclatura aplicada aos bordados antigos), os alinhavados de Nisa, são o ex-líbris da arte nisense de bordar.
Executado em pano de linho ou alinhado (composto de linho e algodão), ou mesmo em pano cru (no caso das bordadeiras mais pobres) este é um bordado branco, no qual são retirados os fios necessários da trama do pano (normalmente são retirados o dobro dos fios que se deixam), por forma a ficar em aberto o fundo do desenho, sendo os restantes fios guarnecidos a ponto de crivo. O traçado do desenho é todo limitado a ponto de cordão, ou seja, caseado, e o crivo é composto por feixes de fios muitíssimo bem enrolados (particularidade do crivo nisense), tornando-se o bordado muito robusto e resistente, daí advindo o famoso ditado popular acaba-se o pano, mas fica o bordado.
No caso dos bordados mais antigos, os tais caramelos, de tipo geometrizado ou de crivo olho de rola, não há tecido por desfiar, e as figuras são executadas através do preenchimento das quadrículas que formam o desenho com ponto de passagem.
Provavelmente, por, em tempos remotos, não haver acesso a papel químico para decalque na Vila ou nas redondezas, os motivos, ou desenhos, eram recortados em papel e alinhavados ao tecido, pregando-se com alfinetes a composição sobre uma almofada, donde se começava a tirar os fio e a bordar o crivo e os recortes.
Mas se antigamente os motivos eram muito variados, abrangendo figuras humanas, animais, cruzes de Cristo, formas geométricas, florões, flores e folhas, hoje em dia apenas se utilizam os motivos florais.
Aplicados em vários tipos de peças, os alinhavados ocupam normalmente todo o pano nos almofadões, centros de mesa e outros panos semelhantes, e aparecem principalmente nas extremidades das colchas, lençóis, fronhas, toalhas de mesa e de rosto, bases de copos, panos do pão e peças de roupa, grande parte das vezes associados às rendas de bilros.
OLARIA PEDRADA
A principal característica diferenciadora é sem dúvida alguma a técnica decorativa do empedrado, na qual se usam pequenos fragmentos de quartzo branco, que rasgam o barro em sulcos bem delineados, dando azo a belos motivos decorativos, cuidadosamente planeados e essencialmente ligados à flora e fauna regionais. É principalmente esta arte decorativa, tarefa tradicionalmente levada a cabo por hábeis e experientes mãos femininas que torna estas peças, simples na sua essência, verdadeiras obras de arte, revestidas de enorme beleza e valor artístico.
Para além do tradicional vasilhame, que antes os oleiros comercializavam nas várias localidades do concelho de Nisa e nas dos concelhos vizinhos de Portalegre, Abrantes, Vila Velha de Ródão, Castelo Branco, Covilhã, etc. – especialmente nas estações ferroviárias da Linha da Beira Baixa – começou-se, a partir de então, a fabricar artefactos decorativos diversos, como pratos, travessas, miniaturas, cinzeiros, pequenas réplicas de animais, etc., ao mesmo tempo que as peças de morfologia mais tradicional se tornavam revestidas de uma decoração pedrada distinta, levada a cabo com pedra de menor calibre (chamada de 1ª e de 2ª) e em apenas uma linha ou ida, como dizem os populares.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

MONTALVÃO: Festas da Senhora dos Remédios

Adiafa anima festas de Montalvão
P R O G R A M A
Sexta-feira, dia 3 de Setembro

22:00 – Inicio do baile com o agrupamento musical “Bandalouka”
00:00 – Actuação do afamado grupo de musica popular “Adiafa”
01:30 – Continuação do baile até de madrugada
Sábado, dia 4 de Setembro
16:00 – Actuação dos Bombos de Nisa pelas ruas até à Monumental Praça de Touros
17:00 – Grandiosa tourada à Vara Larga e Forcao de Vila Maior (Sabugal)
Ganadaria Proenças - Sociedade Agrícola, Lda.
22:00 – Inicio do baile com o famosíssimo grupo musical “Chave D’Ouro”
O pai da criança não vai faltar à nossa festa!!!
00:00 – Actuação da consagrada artista “ Romana”
01:30 – Continuação do arraial
Domingo, dia 5 de Setembro
12:00 Arruada com o agrupamento musical “Domingos & Dias Santos” de Nisa
17:00 Grandiosa tourada à Vara Larga
Ganadaria Proenças - Sociedade Agrícola, Lda.
22.00 Inicio do arraial com o ilustre grupo musical “Kompanhia” de Castelo Branco
Quarta-feira, dia 8 de Setembro
12:30 – Procissão em Honra de Nossa Senhora dos Remédios
Haverá esmerado serviço de Bar
22:00 – Inicio do arraial com célebre “Nuno José” de Fortios

domingo, 8 de agosto de 2010

ALPALHÃO: Solidariedade com a família de Filipe Mourato

Em Alpalhão é mais uma semana das Festas de Verão, deveriam estas ser de alegria, divertimento e confraternização com aqueles que esperam um ano inteiro para "regressar à terra" nesta altura e poder estar com os amigos de longa data e parentes, mas este ano serão mais pobres e mais tristes.
No dia 01 de Agosto, o Filipe Mourato tinha apenas 21 anos e sofreu um grave acidente de automóvel, apesar de todos os esforços de enfermeiros, médicos e todos os que o tentaram ajudaram, ele foi transferido para Lisboa onde viria a falecer horas mais tarde.
O Filipe era um jovem cheio de energia, de genica, de alegria e andava sempre bem disposto, estas devem ser qualidades que não devem esquecer e que para sempre ele seja recordado.
Sei que neste momento todos estão a pensar que é injusto e que ele não tinha juízo, mas podem também interiorizar que o que aconteceu ao Filipe pode acontecer a qualquer um de nós, e que de nada servem as brigas, zangas e afins, pois a vida é para ser vivida um dia de cada vez.
Eu também sou mãe, e não sei o que estão a sentir, mas posso tentar imaginar a dor pela qual a mãe, o pai e o irmão devem estar a passar neste momento.
Como por ele nada mais se poder fazer se não esperar que tenha ido para um lugar melhor, agora temos que pensar também na sua família e o quanto deve estar a sofrer, como as despesas são muitas e são pessoas humildes, está a realizar-se um peditório para auxilio ás despesas com o funeral. Quem tiver um pouco de sensibilidade e queira ajudar pode fazê-lo em alguns estabelecimentos de Alpalhão. É só perguntar que será indicado.
Sei que para eles nada fará esquecer o Filipe, mas só a boa vontade das pessoas tentarem ajudar pode trazer alguma paz de espírito.
Para o Filipe, espero que estejas num lugar melhor e que possas olhar por aqueles que
mais amas.
Aos pais só posso desejar que tentem conseguir ultrapassar esta dor tão profunda.
Susana

sábado, 7 de agosto de 2010

SANTANA: Festas populares durante 4 dias

A freguesia de Santana e as povoações de Pardo, Duque e Arneiro, vão estar em festa nos dias 13, 14, 15 e 16 de Agosto.
Celebram-se os tradicionais festejos em honra da Senhora Santa Ana, com um programa onde não faltam as manifestações de carácter religioso e a animação musical, a par de uma excelente oferta gastronómica. O programa aqui fica com o convite a uma visita a Santana, uma freguesia que sabe receber como poucas.
PROGRAMA
Sexta-feira, dia 13 de Agosto

13h30: Abertura do recinto das festas e do bar.
21h00: Abertura da quermesse.
22h30: Actuação do conjunto musical “Trio Onda Musical”.
Sábado, dia 14 de Agosto
10h30: Continuação das festas de Santa-Ana, durante todo o dia.
15h30: Inicio do arraial com o “Grupo de precursão gentes de Ródão”.
18h00: Jogos Tradicionais.
21h00: Abertura da quermesse.
22h30: Actuação do conjunto musical “Clã 6030” de Vila Velha de Rodão.
Domingo, dia 15 de Agosto
08h00: Alvorada com a “Banda da Sociedade Musical Nisense”, que vai percorrer as ruas da freguesia de Santana.
10h30: Continuação das festas de Santa-Ana, durante todo o dia.
16h30: Missa em Honra da padroeira “Santa-Ana” seguida de procissão.
17h30: Actuação do “Rancho Folclórico de Castelo de Vide”.
21h00: Abertura da quermesse.
22h30: Actuação do conjunto musical “Megamix”.
Segunda-feira dia 16 de Agosto
10h30: Continuação das festas de Santa-Ana, durante todo o dia.
16h00: Continuação dos jogos tradicionais de Sueca e Malha.
21h00: Abertura da quermesse.
22h30: Actuação do dueto “Sónia e Patricia”.
00h00: Entrega de Troféus e nomeação da comissão de festas para 2011.
01h00: Continuação da actuação do dueto “Sónia e Patricia”.
04h30: Encerramento das festas.

domingo, 11 de julho de 2010

NISA: Assembleia Municipal contra portagens na A23

Na sessão da Assemleia Municipal de Nisa realizada no passado dia 28 de Junho, foram apresentadas duas moções de contestação à introdução de portagens na A23.
A primeira moção teve como proponente José Manuel Basso (independente, PS) enquanto a outra foi apresentada por Marco Moura, em representação da CDU, sendo ambas aprovadas por unanimidade, e que deram origem a um texto único, divulgado pela presidente deste órgão deliberativo municipal.
" Recentemente, contrariando a filosofia original de promover a acessibilidade ao interior e, assim, facilitar o seu desenvolvimento, tem estado no centro do debate político nacional a instalação de pagamento na utilização de auto-estradas SCUT.
A vingarem as perspectivas mais radicais, também será abrangida por esta medida a A23, auto-estrada que constitui o percurso natural de deslocação de Nisa para Lisboa e todo o Litoral Centro e Norte do País.
Tendo em conta que os indicadores de desenvolvimento socioeconómico da região são inferiores á media nacional, e entendermos ser da mais elementar justiça a coesão territorial, sendo que esta só é real se por parte do estado, for mantida uma descriminação positiva, de forma a contrariar o êxodo das populações para o litoral.
As populações do Concelho de Nisa, Distrito de Portalegre, Beira Baixa e Médio Tejo, irão sofrer um grave atentado ao seu desenvolvimento regional, pois não tenhamos a menor dúvida que a A23 foi, e é, uma via estruturante que contribui para aproximar as populações e para, através de uma evidente melhoria da mobilidade rodoviária, se fixem novas empresas em diversas localidades da região.
Decorrendo do exposto, a Assembleia Municipal de Nisa reunida em Sessão Ordinária no passado dia 28 de Junho de 2010, manifestou por unanimidade e entendeu fazer chegar com carácter de urgência ao governo e outros órgãos de soberania, toda a sua discordância com a decisão do governo em colocar portagens na A23, entendendo que a mesma deverá ser suspensa, manifestando também toda a solidariedade para com as autarquias e movimentos de cidadãos que têm vindo a contestar esta já previsível decisão do Governo."
João José Esteves Santana - Presidente da Assembleia Municipal de Nisa
28 de Junho de 2010

quinta-feira, 10 de junho de 2010

A SITUAÇÃO DAS TERMAS DE NISA


Comunicado dos vereadores do PS e do PSD à população do concelho
Com data de 6 de Junho, os vereadores do PS (Idalina Trindade e Francisco Cardoso) e do PSD (Fernanda Policarpo) distribuíram um comunicado à população do concelho, no qual denunciam a situação existente no que se refere ao endividamento da empresa Ternisa.

sábado, 3 de abril de 2010

NISA: Feriado Municipal e Dia de Romarias no Concelho

O concelho de Nisa vai viver no próximo dia 5 de Abril uma jornada de animação e convívio nas diversas romarias que coincidem, igualmente, com o feriado municipal.
A riqueza cultural e tradicional do concelho de Nisa reflecte-se nas diferentes romarias existentes um pouco por todo o concelho que na segunda-feira seguinte à Páscoa são motivo para que a elas afluem, de todas as partes por onde andam dispersos, os filhos da terra, para alimentar a fé e fortalecer as raízes que os ligam à sua terra natal.
No dia 5 de Abril os romeiros irão afluir à Nossa Senhora da Graça (Nisa), Nossa Senhora da Redonda (Alpalhão), Santo Amaro (Tolosa) e Santo António (Arez), num dia de salutar convívio, em que o sagrado e profano se cruzam e cuja ancestralidade cultural constitui uma forma que a população do concelho de Nisa utiliza para expressar aos santos a sua profunda devoção, num apelo de bênção e graças para momentos difíceis.
Nesta data é, igualmente, comemorado o feriado municipal do concelho de Nisa que até meados do século passado, se comemorava no dia 1 de Maio. Em 1955, a Câmara Municipal “ considerando que a data mais festiva e tradicional do concelho é o Dia de Nossa Senhora da Graça que anualmente se festeja com grande solenidade em segunda feira de Páscoa…” deliberou “solicitar ao Ministro do Interior autorização para poder considerar feriado municipal o referido dia”.
Fonte: CM Nisa

À SENHORA DA GRAÇA
Vem aí a Romaria
De Nossa Senhora da Graça
E até chegar ao cimo
Vou pedir-lhe uma graça.

Nas Portas de Montalvão
Junta-se a rapaziada
É aí que vai começar
Tão alegre caminhada

Cheguei à Fonte do Frade
Vi cachopas a bailar
Cachopos todos ao monte
As amêndoas vão rifar.

E ao chegar ao Encontro
É paragem derradeira
Vou lá deitar uma cruz
No tronco da oliveira.

E no Penico do Pastor
Também me quero sentar
Aqui descanso um momento
P´ró resto do caminho andar.

Na capela de São Lourenço
Campos cheios de flor de linho
Com estas paragens todas
Que curto foi o caminho.

Chegada à Cruz de Pedra
Esbelta e monumental
Paramos para meditar
Não nos fica nada mal.

Olhai! Os Fiéis de Deus
Capela tão pequenina
Vamos acender uma luz
Para dar luz à alminha.

A Senhora dos Prazeres
Fica ao meio da ladeira
Ali estão os botequins
Aqui parece uma feira.

E lá do alto da Capela
Avisto a Nisa velhinha
Venho convidar-te, Senhora
Para seres minha Madrinha.

E no cesto que carrego
Trago lá dentro a merenda
Trago pão, chouriço e queijo
O Lagarto e a encomenda.

São horas de regressar
Sem parar p´lo caminho
Levo um santo de açúcar
E um relógio pró menino.
Maria Dinis Pereira