sábado, 3 de abril de 2010

NISA: Feriado Municipal e Dia de Romarias no Concelho

O concelho de Nisa vai viver no próximo dia 5 de Abril uma jornada de animação e convívio nas diversas romarias que coincidem, igualmente, com o feriado municipal.
A riqueza cultural e tradicional do concelho de Nisa reflecte-se nas diferentes romarias existentes um pouco por todo o concelho que na segunda-feira seguinte à Páscoa são motivo para que a elas afluem, de todas as partes por onde andam dispersos, os filhos da terra, para alimentar a fé e fortalecer as raízes que os ligam à sua terra natal.
No dia 5 de Abril os romeiros irão afluir à Nossa Senhora da Graça (Nisa), Nossa Senhora da Redonda (Alpalhão), Santo Amaro (Tolosa) e Santo António (Arez), num dia de salutar convívio, em que o sagrado e profano se cruzam e cuja ancestralidade cultural constitui uma forma que a população do concelho de Nisa utiliza para expressar aos santos a sua profunda devoção, num apelo de bênção e graças para momentos difíceis.
Nesta data é, igualmente, comemorado o feriado municipal do concelho de Nisa que até meados do século passado, se comemorava no dia 1 de Maio. Em 1955, a Câmara Municipal “ considerando que a data mais festiva e tradicional do concelho é o Dia de Nossa Senhora da Graça que anualmente se festeja com grande solenidade em segunda feira de Páscoa…” deliberou “solicitar ao Ministro do Interior autorização para poder considerar feriado municipal o referido dia”.
Fonte: CM Nisa

À SENHORA DA GRAÇA
Vem aí a Romaria
De Nossa Senhora da Graça
E até chegar ao cimo
Vou pedir-lhe uma graça.

Nas Portas de Montalvão
Junta-se a rapaziada
É aí que vai começar
Tão alegre caminhada

Cheguei à Fonte do Frade
Vi cachopas a bailar
Cachopos todos ao monte
As amêndoas vão rifar.

E ao chegar ao Encontro
É paragem derradeira
Vou lá deitar uma cruz
No tronco da oliveira.

E no Penico do Pastor
Também me quero sentar
Aqui descanso um momento
P´ró resto do caminho andar.

Na capela de São Lourenço
Campos cheios de flor de linho
Com estas paragens todas
Que curto foi o caminho.

Chegada à Cruz de Pedra
Esbelta e monumental
Paramos para meditar
Não nos fica nada mal.

Olhai! Os Fiéis de Deus
Capela tão pequenina
Vamos acender uma luz
Para dar luz à alminha.

A Senhora dos Prazeres
Fica ao meio da ladeira
Ali estão os botequins
Aqui parece uma feira.

E lá do alto da Capela
Avisto a Nisa velhinha
Venho convidar-te, Senhora
Para seres minha Madrinha.

E no cesto que carrego
Trago lá dentro a merenda
Trago pão, chouriço e queijo
O Lagarto e a encomenda.

São horas de regressar
Sem parar p´lo caminho
Levo um santo de açúcar
E um relógio pró menino.
Maria Dinis Pereira